Vitamina A: para que serve este nutriente?

Entre as vitaminas essenciais para o bom funcionamento do nosso corpo, a vitamina A é uma das que mais se destacam. A sua importância é evidente tanto nos benefícios que ela traz, quanto nos sintomas de carência nutricional. Por isso, vamos mostrar para que serve a vitamina A.

Mais do que isso. Vamos desvendar a melhor forma de adquirir este nutriente e, no caso da suplementação ser necessária, como escolher o melhor produto. Entre eles, o novo suplemento lipossomal que acaba de chegar a Portugal.

Pontos-chave

  • A vitamina A serve para formar e manter os dentes, o músculo esquelético, as mucosas e a pele saudáveis.
  • Também conhecido como retinol, este nutriente é indispensável para a saúde dos olhos e sua falta acarreta doenças graves.
  • Para repor ou manter os níveis adequados de vitamina A pode ser preciso consumir suplementos. O da Sundt é o melhor de todos e vamos mostrar o porquê.

Vitamina A: tudo o que precisa de saber

A vitamina A é uma das mais importantes para o nosso corpo. Também chamada de retinol, este nutriente é uma vitamina lipossolúvel.

Ou seja, ela precisa de ser consumida juntamente com fontes alimentares gordurosas para ser mais bem absorvida pelo organismo.

E, ainda que esta vitamina possa ser facilmente obtida através de uma dieta diversificada e saudável, em alguns casos o uso de suplemento é necessário. O que não se pode é abdicar do consumo da vitamina A.

Destaque para olhos de mulher, tampando parte do rosto com o casaco.
A saúde da visão é a mais beneficiada com a ingestão correta de vitamina A. (Fonte: StockSnap/ Pixabay.com)

Tamanha é a sua importância que a falta da vitamina A pode gerar problemas graves de saúde. Afinal, além de essencial para a visão, este nutriente é responsável por uma série de processos que ocorrem no nosso corpo.

De um modo geral, a vitamina A serve para:

  • Quem quer ter boa visão;
  • Quem pretende ter ossos saudáveis e dentes fortes;
  • Quem deseja ter a pele livre dos radicais livres.

Para que serve a vitamina A no organismo?

De facto, a função mais conhecida da vitamina A é a de garantir a saúde dos olhos. Com o consumo adequado deste nutriente, é possível manter uma boa visão e a correta hidratação da superfície ocular.

Mas, para ter uma dimensão mais ampla da importância desta vitamina, verifique a tabela abaixo que mostra para que serve a vitamina A e os sintomas da sua deficiência no corpo:

Funções da vitamina A Sintomas de falta do nutriente
Manter a saúde da visãoCegueira noturna
Participar do desenvolvimento dos ossos e dos dentesSensibilidade à luz (fotofobia)
Proteger a peleRedução do olfato e do paladar
Fortalecer o sistema imunológicoSecura da parte branca dos olhos e da córnea
Atuar na saúde dos cabelosDermatite
Aumento do risco de infeções

Vitamina A: para que serve na pele e no cabelo?

Além de ser essencial para a nossa saúde como um todo, a vitamina A também tem atuação importante na pele e nos cabelos.

Tanto é que grande parte dos cosméticos vendidos atualmente no mercado contam com este nutriente na sua fórmula.

Isso porque, como a vitamina A também é um poderoso antioxidante, ela serve para deixar a pele bonita e ainda ajuda na produção de queratina dos folículos capilares. Assim, a vitamina A serve para:

  • Desenvolvimento normal da pele;
  • Manutenção da hidratação da pele;
  • Crescimento e manutenção das unhas e cabelos.

No entanto, é preciso alertar que a vitamina A, na sua forma tópica, é contraindicada para peles sensíveis e para as gestantes. Isto porque ela pode causar irritação, ardor, descamação e vermelhidão.

Além disso, no caso dos cosméticos, vai encontrar fórmulas com o ácido retinoico ou com o retinol. Os dois são, na verdade, derivados da vitamina A.

Além disso, são muito utilizados em tratamentos estéticos para combater a acne, rejuvenescer a pele e reduzir os poros, além de atenuar manchas.

Qual a importância da vitamina A para os bebés e crianças?

Tamanha a importância da vitamina A, que uma reserva adequada deste nutriente em crianças pode reduzir em até 24% a mortalidade infantil e em 28% a mortalidade por diarreia (1).

O leite materno, por exemplo, consegue fornecer a quantidade ideal de vitamina A nos seis primeiros meses de vida dos bebés. Mas isso ocorre apenas quando o leite materno é oferecido de forma exclusiva.

Já a alimentação complementar, deve ser oferecida quando o bebé completar 6 meses de vida e deve incluir também alimentos ricos em vitamina A.

No entanto, quando não há o consumo de leite materno, ou ele ocorre de forma insuficiente, e a alimentação não tem alto teor de vitamina A, podem ocorrer sintomas da carência deste nutriente. Alguns deles são:

  • Dificuldade de ver à noite;
  • Alteração ocular com secura do olho;
  • Ocorrência frequente de diarreia.

Nesses casos, o suplemento com vitamina A pode ser necessário, mas apenas deve ser consumido sob supervisão do pediatra.

Além disso, quando o suplemento de vitamina A for recomendado pelo médico, é importante saber que as doses variam de acordo com a faixa etária da criança, entre outros fatores.

Verifique na tabela a seguir:

IdadeQuantidade de vitamina A diária
0 a 6 meses1.333 UI
6 a 12 meses1.667 UI
1 a 3 anos1.000 UI
4 a 8 anos1.333 UI (1)

Quais as principais fontes de vitamina A?

O corpo humano não é capaz de fabricar esta vitamina. Por isso, toda a vitamina A de que necessitamos precisa de vir de fontes externas.

Como vimos, para os bebés, a principal fonte alimentar de vitamina A é o leite materno. Mas, além disso, este nutriente pode ser encontrado em alimentos naturais e suplementos.

No caso dos alimentos, a vitamina A está presente em fontes de origem animal e vegetal e, em cada um dos casos, recebe também denominações diferentes.

A diferença é que a vitamina presente em alimentos de origem animal está pronta para ser usada pelo organismo assim que consumida. Já o nutriente encontrado nos vegetais é, na verdade, o precursor da vitamina que, dentro do corpo, se converte em vitamina A. Veja:

OrigemDenominaçãoAlimentos ricos em vitamina A
AnimalVitamina A pré-formada (retinol)Fígado, leite e derivados, ovo e peixe
VegetalCarotenóide de Provitamina AAzeite de dendê, frutas e vegetais amarelos e laranjas, folhas verde escuras

Qual deve ser a ingestão diária de vitamina A?

No caso de jovens e adultos, a dosagem diária deste nutriente varia de acordo com o género, condição de saúde e idade.

No quadro abaixo, veja a indicação segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS):

Género e idadeQuantidade diária de vitamina A
9 a 13 anos2.000 UI
Mulheres 14 a > 70 anos2.333 UI
Homens 14 a > 70 anos3.000 UI
GrávidasEntre 2.500 e 2.567 UI
LactantesEntre 4.000 e 4.333 UI (1)

Quem deve considerar a suplementação de vitamina A?

Ainda que todos precisem de doses diárias de vitamina A, existem alguns grupos que podem apresentar um risco maior de deficiência nutricional e, portanto, devem considerar a suplementação. São eles:

  • Crianças que começam a receber outros alimentos, além do leite materno;
  • Mulheres que amamentam (2);
  • Pessoas que não se alimentam adequadamente.

Nesses casos, é fundamental que consulte um médico ou pediatra. Afinal, a falta desta vitamina no nosso corpo pode causar desde problemas de saúde brandos e facilmente tratáveis até aos mais graves.

Como vimos, a carência de vitamina A pode causar diarreia e até problemas respiratórios. Mas o facto é que a deficiência deste nutriente é a principal causa de cegueira evitável.

Nos casos de carência nutricional leve, a suplementação com vitamina A pode reverter os sintomas e impedir o avanço da deficiência na sua forma mais grave.

No entanto, apenas um especialista da área da saúde poderá analisar os seus exames e avaliar a necessidade e a forma de consumo de suplementos.

Além disso é o médico que deve determinar a dosagem ideal de acordo com a sua idade e sua condição clínica.

Lembrando que, assim como ocorre com outras vitaminas, também com a vitamina A a hipervitaminose pode ser altamente prejudicial.

Quais são os riscos da sobredosagem da vitamina A?

A hipervitaminose, ou seja, o consumo excessivo de vitamina A, é tão maléfico para a nossa saúde quando a falta deste nutriente. As consequências do consumo de altas doses dessa vitamina são:

  • Pele grossa;
  • Queda de cabelo;
  • Dor de cabeça;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Sonolência;
  • Irritabilidade;
  • Delírio;
  • Vómitos;
  • Diarreia.

Quais são as opções de suplementos com vitamina A?

Se o uso de suplemento de vitamina A for indicado pelo seu médico, vai encontrar pelo menos três tipos de produtos à venda que se diferenciam, principalmente, por conta da sua composição. Veja:

  • Suplemento isolado: a fórmula contém apenas a vitamina A;
  • Suplemento combinado: a vitamina A pode vir combinada com outro nutriente;
  • Multivitamínico: nesse caso, a vitamina é parte de um composto maior que pode incluir dezenas de outras vitaminas e minerais.

Outro fator que diferencia um suplemento de outro é o quesito eficiência na absorção. A maioria dos produtos não garante que o corpo vai aproveitar toda a vitamina presente na fórmula.

Além disso, grande parte dos suplementos à venda possui conservantes, corantes e aditivos químicos, que fazem mal à saúde. A exceção é o suplemento lipossomal.

Quais as vantagens do suplemento lipossomal de vitamina A?

Se busca um suplemento que seja mais eficiente e menos agressivo ao seu intestino, o ideal é o que utiliza a técnica de lipossomas.

A Sundt, fabricante europeia, trouxe esta inovação para o mercado nacional.

A empresa utiliza uma técnica de produção que consiste em envolver a vitamina A em camadas de lipossomas.

Assim, ao ingerir o suplemento, estas camadas são digeridas de maneira mais rápida e simples quando entram em contato com a parede do intestino.

Mulher segurando cápsula de suplemento.
O lipossomal garante uma melhor absorção da vitamina pelo organismo. (Fonte: puhhha / 123RF)

Com isso, ocorre um aumento da biodisponibilidade do nutriente no corpo, garantindo que o organismo irá aproveitar toda a vitamina A do suplemento.

Outro destaque do suplemento lipossomal da Sundt é que ele é livre de aditivos químicos, o que reduz os prejuízos que costumam ser causados no aparelho digestivo.


Conclusão

A vitamina A serve para manter a saúde do organismo como um todo, além da visão, da pele e dos cabelos. Ela pode ser consumida através de alimentos de origem animal e vegetal. Mas, em situações específicas, a quantidade ideal do nutriente pode não ser atingida.

Nesses casos, é importante considerar o suplemento. Mas a maioria não garante que toda a vitamina A seja, de facto, aproveitada pelo organismo. À exceção do suplemento lipossomal da Sundt que, além de aumentar a biodisponibilidade da vitamina A, ainda é livre de aditivos.

(Fonte da imagem destacada: Natchavakorn Songpracone / 123rf.com )

Referências(3)

  1. Manual de Condutas Gerais do Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A - Ministério da Saúde do Governo Federal.
  2. O que é e para que serve a vitamina A? - Biblioteca Virtual em Saúde - Atenção Primária em Saúde - Ministério da Saúde e BIREME/OPAS/OMS
  3. Suplementação de vitamina A em bebês e crianças de 6 a 59 meses de vida - Organização Mundial da Saúde
Anterior Vitamina B12 baixa: quais são os riscos? Próximo Top 5 alimentos ricos em magnésio: visão geral e conselhos
Manual
Manual de Condutas Gerais do Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A - Ministério da Saúde do Governo Federal.
Ir para a fonte
Artigo
O que é e para que serve a vitamina A? - Biblioteca Virtual em Saúde - Atenção Primária em Saúde - Ministério da Saúde e BIREME/OPAS/OMS
Ir para a fonte
Diretriz
Suplementação de vitamina A em bebês e crianças de 6 a 59 meses de vida - Organização Mundial da Saúde
Ir para a fonte