Como aumentar a imunidade: do que o meu corpo precisa?

Está à procura de algo para aumentar a imunidade? É o que todos queremos! Principalmente durante os meses mais frios quando surgem as constipações, rinites e vírus, como o da gripe. A queda nas temperaturas nos meses de inverno e a falta de ventilação nos ambientes fechados também contam, é claro. A solução? Ter um sistema imunológico forte.

Portanto, nunca é demais pensar em como reforçar o sistema imunológico nos meses mais frios. Recentemente, está a falar-se muito nos terpenos ou terpenoides, alguns compostos naturais (1) com possíveis propriedades medicinais. Esse é o principal ingrediente do Vital Shield, o suplemento da Sundt Nutrition para aumentar a imunidade. Preste atenção, vai adorar!

Pontos-chave

  • As nossas defesas podem ficar debilitadas no inverno, deixando o organismo à mercê de diferentes doenças. Por isso, é importante prestar atenção especial ao sistema imunológico nos meses mais frios.
  • É possível “defender” o corpo com uma alimentação saudável, dormindo o suficiente ou com exercícios físicos. Mas, às vezes, não é suficiente. Ou não tem tempo com a vida agitada, ou utiliza agentes nocivos, como o álcool, o cigarro ou outros.
  • O suplemento Vital Shield da Sundt Nutrition, à base de terpenos, foi especialmente formulado para auxiliar a função normal do sistema imunológico durante os meses mais frios. Vai adorar!

Como aumentar a imunidade? Tudo o que precisa de saber

Lembra-se da última vez que teve uma constipação? No fim, ficou curado, certo? Não foi apenas pela ação dos medicamentos que tomou, foi também porque o seu corpo criou defesas graças ao seu sistema imunológico. Mas, o que é? Quem ou o que ataca as nossas defesas? Como o organismo se defende? Nesta secção, vamos responder a estas e outras perguntas. Fique atento!

aumentar imunidade
Manter as defesas “altas” é o básico para que o organismo possa se proteger dos “inimigos”, como infeções, vírus e doenças em geral. (Fonte: Priscilla Du Preez: zeqWK0n5PNM/ Unsplash.com)

O que é o sistema imunológico?

É um conjunto de células, órgãos e tecidos que ajudam o corpo a se defender das infeções e outras doenças (2, 3).

Imagina: acha que apanhou uma gripe. Neste momento, os “guerreiros”, ou seja, o seu sistema imunológico, ataca esta infeção. Ou seja, ataca os germes, como vírus e bactérias. E do que é composto o sistema imunológico? Poderá verificar na lista abaixo:

  • Glóbulos brancos. Também chamados leucócitos, são verdadeiros “soldados” que combatem germes e infeções.
  • A pele. É uma barreira para evitar que os germes entrem no corpo humano.
  • As membranas mucosas. Outra barreira natural que produz muco e outras substâncias capazes de “aprisionar” os germes.
  • Tecidos e órgãos do sistema linfático. Como, por exemplo, a medula óssea, o baço ou vasos e os nódulos linfáticos. Todos eles são responsáveis por produzir, armazenar e transportar glóbulos brancos no organismo.

O sistema imunológico defende de “visitantes” estranhos, por exemplo um vírus ou uma bactéria. E, acredite ou não, enquanto o sistema imunológico reconhece um elemento estranho, “ataca-o” produzindo anticorpos.

Estes anticorpos destroem os germes. E as células do corpo vão lembrar-se para o resto da vida destes “inimigos” microscópicos. Ou seja, vai resistir à infeção porque o seu organismo enviará os anticorpos corretos para combater esta bactéria ou vírus tão incómodo.

Quais são os inimigos das nossas defesas?

Manter as defesas “altas” é o básico para que o organismo possa se proteger de “inimigos” como infeções, vírus e doenças em geral. Entre estes “soldados hostis” está o cigarro, as drogas ou o stress, mas existem muitos outros, como pode ver na lista abaixo:

  • Fumar. O cigarro é um dos principais inimigos do sistema imunológico e os seus efeitos nocivos têm sido amplamente estudados. O fumo do cigarro pode dar lugar a muitas doenças, inclusive problemas cardiovasculares, respiratórios, autoimunes, alergias, cancro, rejeição de transplantes, entre outros (4).
  • Não dormir. O sono e o sistema imunológico estão intimamente relacionados. De facto, os estudos indicam que as pessoas com doenças infeciosas e inflamatórias crónicas sofrem mudanças no padrão do sono. Muitos estudos em humanos indicam que a falta de sono aumenta a probabilidade de infeções e piora a resposta imunológica à vacinação. Portanto, dormir bem é fundamental para aumentar a imunidade (5).
  • Álcool. Em relação ao sistema imunológico, os estudos sinalizam que o consumo moderado de álcool está associado a uma redução da inflamação e a melhores respostas à vacinação. No entanto, o consumo excessivo de álcool esta associado a um maior risco de infeções bacterianas e virais (6).
  • Stress. O stress é uma resposta benéfica quando uma situação é temporária. Por exemplo, se nos encontramos diante de um perigo, o stress ajuda a enfrentar ou fugir. No entanto, quanto mais crónico se tornar, mais componentes do sistema imunológico serão prejudicados. Esta associação entre o stress e as defesas ainda está pendente de mais estudos, mas já indica que a serenidade significa saúde (7, 8)!
aumentar imunidade
A nutrição de boa qualidade é fundamental para que as defesas funcionem corretamente. (Fonte: Heather Ford: Ug7kk0kThLk / Unsplash.com)

A importância da alimentação para aumentar a imunidade

Caso não saiba, a deficiência de alguns micronutrientes deterioram a função imunológica. Por isso, uma nutrição de boa qualidade é fundamental para que as defesas funcionem corretamente. Na seguinte tabela vamos resumir os principais nutrientes, o que ocorre se existir um déficit e as fontes adequadas de alimentação. Fique atento (9, 10, 11, 12, 13).

NutrienteO que o déficit causa?Fontes alimentares
Vitamina AUm déficit altera as respostas imunológicas e aumenta as chances de muitas infeções. A sua carência pode causar cegueira noturna, inflamação nos olhos e pele áspera.Óleo de fígado de peixe, fígado, peixe, gema de ovo, espinafre.
Vitamina DAs pessoas com um nível baixo de vitamina D têm um maior risco de infeções respiratórias. A luz solar reduz a incidência de infeções respiratórias virais, assim como o óleo de fígado de bacalhau.Ovos, peixe, camarão, frango, carne bovina, queijo curado, leite, manteiga.
Vitamina EOs sintomas da deficiência incluem problemas graves no sistema nervoso e muscular, perda de equilíbrio e sensibilidade e deterioração das defesas.Vegetais de folhas verdes, grãos integrais, cereais fortificados e óleos vegetais.
ZincoA deficiência de zinco pode aumentar a frequência das infeções, especialmente as respiratórias e de pele.Ostras, mariscos, fígado, carne vermelha, peixe.
FerroA deficiência de ferro afeta negativamente as defesas. A anemia provocada pela falta de ferro pode piorar a habilidade de combater germes.Carnes magras, marisco, aves, lentilhas, feijão, espinafres, nozes.
SelénioA carência de selénio pode reduzir a capacidade das defesas para evitar a infeção.Marisco, peixes, ovos, cereais integrais, sementes, castanha-do-pará.
Vitamina CA deficiência de vitamina C causa escorbuto, que pode chegar a ser mortal. O escorbuto causa cansaço, inflamação nas gengivas, pequenas manchas na pele vermelhas ou roxas, dor nas articulações e má cicatrização de feridas.Frutas cítricas, pimentos vermelhos e verdes, kiwi, brócolos, morango.

Fazer exercício

Manter-se ativo melhora as defesas, por isso é fundamental realizar diariamente exercício físico moderado para conseguir uma boa resposta do sistema imunológico (11, 15).

Além disso, o exercício ajuda a controlar o stress e também a melhorar a flexibilidade do metabolismo. As recomendações da OMS, divididas por idade, podem ser observadas na seguinte tabela:

Grupo de idadeRecomendações
5-17 anosJogos, desporto, passeios, atividades recreativas, educação física ou exercícios programados. A duração deve ser de 60 minutos diários e, de preferência, atividades aeróbicas.
18-64 anosNo mínimo, 150 minutos semanais de atividades físicas aeróbicas de intensidade moderada ou 75 minutos de atividade física aeróbica intensa por semana.
Mais de 65 anosNeste caso, a OMS recomenda 150 minutos semanais de atividades físicas moderadas ou algum tipo de atividade física intensa durante 75 minutos ou uma combinação equivalente de atividades moderadas e intensas.

Quer aumentar a imunidade? Não se esqueça de descansar

O sono é fundamental para regular o sistema imunológico porque, quando dormimos, as defesas do corpo regeneram-se e fortalecem. De facto, existem estudos que mostram que as pessoas que dormem menos de sete horas por dia são três vezes mais propensas a apanhar constipações do que as pessoas que dormem 8 horas ou mais (5, 11).

Os especialistas recomendam seguir as seguintes dicas:

  • Manter horários fixos para ir dormir;
  • Jantar pouco e cedo;
  • Não ir para a cama logo depois de comer;
  • Não tomar cafeína à tarde ou à noite;
  • Evitar travesseiros muito altos;
  • Tomar um banho quente antes de ir dormir;
  • Dormir num local escuro;
  • Evitar os dispositivos eletrónicos duas horas antes de ir para a cama;
  • Praticar exercício físico moderado duas horas antes de ir dormir;
  • Praticar alguma técnica de meditação;
  • Dormir num colchão adequado;
  • Manter uma temperatura adequada no quarto, entre 18 e 21ºC;
  • Não se automedicar.

Suplementos para aumentar a imunidade

O inverno chega e com ele vem as gripes e as constipações, por isso é muito importante ter cuidado e contar com um sistema imunológico eficaz contra vírus, bactérias e outros patogénicos. E por que não recorrer à suplementação? A vida agitada nem sempre permite receber os nutrientes necessários e eles são fundamentais para as defesas do corpo! Vamos ver com mais detalhes, preste atenção (16, 17, 18):

aumentar imunidade
Manter-se ativo melhora as defesas, por isso é fundamental realizar exercícios moderados diariamente para conseguir uma boa resposta do sistema imunológico. (Fonte: Gordon Cowie: nR7RzE0OBI0/ Unsplash.com)

Multivitamínico

Às vezes, pode apresentar um déficit não de apenas um nutriente, mas de vários! E já sabe que é importante ter um sistema imunológico forte para enfrentar o frio do inverno. Nós recomendamos o multivitamínico lipossomal da Sundt Nutrition. Porquê?

A tecnologia lipossomal é a chave na nossa recomendação. Os nutrientes são encapsulados num lipossoma que tem uma estrutura parecida com as nossas próprias células. Esta similaridade fará com que o seu organismo absorva as vitaminas de forma mais eficaz.

Além disso, o multivitamínico da Sundt Nutrition é livre de açúcar, glúten, aditivos animais e genéticos. E tem todas as vitaminas que precisa!

Acreditamos que não é preciso mais nenhuma apresentação, veja um pouco mais abaixo.

Vitamina C

Se precisa de aumentar a imunidade, nada melhor que a vitamina C lipossomal da Sundt Nutrition. Diga adeus aos suplementos em comprimidos ou cápsulas! A sua apresentação em gotas vai encantá-lo, mas o melhor é a sua tecnologia lipossomal.

Os avanços científicos permitiram criar este suplemento lipossomal que garante uma maior biodisponibilidade. E o que isso quer dizer? Isso significa que a vitamina C cumprirá o seu objetivo de uma maneira muito mais eficaz.

Além disso, se é vegano ou intolerante ao glúten, este suplemento também é para si. Além de ser cruelty free, este suplemento também é livre de açúcar. Não deixe de experimentar!

Vital Shield: A revolução dos terpenos

Por último, vamos apresentar um suplemento verdadeiramente revolucionário no âmbito da suplementação. Trata-se do Vital Shield, um suplemento específico da Sundt Nutrition para fortalecer o seu sistema imunológico. E como é feito? Através dos terpenos.

Os terpenos são compostos naturais que são encontrados principalmente nas plantas e têm uma ampla gama de utilidades medicinais. De facto, os terpenos bioativos presentes em várias plantas mostraram vários resultados em relação às propriedades antivirais. Também está a ser estudado o seu potencial para lutar contra todos os tipos de doenças.

Os ingredientes do Vital Shield são: óleo de manjericão, eugenol, d-limoneno, beta-cariofileno, linalol e óleo de eucalipto. A sua formulação combinada com terpenos foi desenvolvida com o objetivo de ajudar a função normal das defesas do corpo desde o primeiro instante. Não deixe de experimentar!


A nossa conclusão

Aumentar a imunidade é fundamental para a transição para os meses mais frios. Vírus, bactérias e demais patogénicos podem nos perseguir com o frio e a humidade, por isso a necessidade de reforçar as defesas do corpo para combatê-los.

Se mostrar sinais de debilidade, em primeiro lugar, procure um médico. Se o seu médico aconselhar o uso de um suplemento, considere em primeiro lugar o Vital Shield da Sundt Nutrition. Esperamos que o poder dos terpenos o ajudem a manter-se saudável nos meses mais frios do inverno e também ao longo de todo o ano!

Se gostou do nosso artigo, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais ou deixe-nos um comentário! Muito obrigado!

(Fonte da imagem em destaque: Priscilla du Preez frRrn5ASwzo/ Unsplash)

Referências(18)

  1. Therapeutic and medicinal uses of terpenes Destinney Cox-Georgian, Niveditha Ramadoss, Chathu Dona, Chhandak Basu Medicinal plants. November 12, 2019: 333–359. Posted online Nov 12, 2019 Doi: 10.1007 / 978-3-030-31269-5_15 PMCID: PMC7120914 PubReader PDF Article – 568K Citation.
  2. Immune System and Disorders. U.S. National Library of Medicine.
  3. The immune system Lindsay B. Nicholson Biochem Assays. October 31, 2016; 60 (3): 275-301. Published online October 26, 2016. doi: 10.1042 / EBC20160017 PMCID: PMC5091071 PubReader PDF Article – 1.5M Citation.
  4. Qiu F, Liang C-L, Liu H, Zeng Y-Q, Hou S, Huang S, et al. Impacts of cigarette smoking on immune responsiveness: Up and down or upside down? Oncotarget [Internet]. 2017 Jan 3 [ 2020 Mar 23];8(1):268–84.
  5. Variation of the human immune system Petter Brodin, Mark M. Davis Nat Rev Immunol. Author’s manuscript; Available at PMC 2017 Feb 27. Published in final edited form as: Nat Rev Immunol. 2017 Jan; 17 (1): 21-29. Published online December 5, 2016 doi: 10.1038 / nri.2016.125 PMCID: PMC5328245 PubReader PDF Article – 1.0M Citation.
  6. Barr T, Helms C, Grant K, Messaoudi I. Opposing effects of alcohol on the immune system. Prog Neuro-Psychopharmacology Biol Psychiatry [Internet]. 2016 Feb 4 [ 2020 Mar 23];65:242–51.
  7. Psychological stress and the human immune system: a meta-analytic study of 30 years of research Suzanne C. Segerstromy Gregory E. Miller. doi: 10.1037 / 0033-2909.130.4.601.
  8. Effects of stress on the immune system Author Links Open Overlay Panel David N Khansari 1 Anthony J Murgo 2 Robert E Faith 3 https://doi.org/10.1016/0167-5699(90)90069-L Disponible online
  9. Calder PC. Feeding the immune system. Proc Nutr Soc [Internet]. 2013 Aug 21 [ 2020 Mar 23];72(3):299–309.
  10. Maggini S, Wintergerst ES, Beveridge S, Hornig DH. Selected vitamins and trace elements support immune function by strengthening epithelial barriers and cellular and humoral immune responses. In: British Journal of Nutrition [Internet]. 2007 [ 2020 Mar 16]. p. S29-35. Disponible online
  11. Guía básica para sistema inmune. FUNDACIÓN DE ENFERMERÍA DE CANTABRIA. ISBN: 978-84-09-20262-1. 1ª Edición Abril 2020. Disponible online
  12. Vitamin E. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
  13. Iron. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
  14. Vitamin C. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
  15. Organización Mundial de la Salud OMS | Recomendaciones mundiales sobre la actividad física para la salud. WHO [Internet]. 2013, Disponible online
  16. Liposomes for Enhanced Bioavailability of Water-Insoluble Drugs: In Vivo Evidence and Recent Approaches. Mi-Kyung Lee. Pharmaceutics. 2020 Mar; 12(3): 264. Published online 2020 Mar 13. doi: 10.3390/pharmaceutics12030264 PMCID: PMC7151102 ArticlePubReaderPDF–2.9MCitation. Disponible online
  17. Liposomal-encapsulated Ascorbic Acid: Influence on Vitamin C Bioavailability and Capacity to Protect Against Ischemia–Reperfusion Injury. Janelle L. Davis, Hunter L. Paris, Joseph W. Beals, Scott E. Binns, Gregory R. Giordano, Rebecca L. Scalzo, Melani M. Schweder, Emek Blair and Christopher Bell. Journal ListNutr Metab Insightsv.9; 2016PMC4915787. Disponible online
  18. Therapeutic and Medicinal Uses of Terpenes Destinney Cox-Georgian, Niveditha Ramadoss, Chathu Dona, Chhandak Basu Medicinal Plants. 2019 Nov 12 : 333–359. Published online 2019 Nov 12. doi: 10.1007/978-3-030-31269-5_15 PMCID: PMC7120914 ArticlePubReaderPDF–568KCitation. Disponible online
Anterior Como escolher vitaminas infantis para aumentar a imunidade? Próximo Colagénio: para que serve?
Artigo científico
Therapeutic and medicinal uses of terpenes Destinney Cox-Georgian, Niveditha Ramadoss, Chathu Dona, Chhandak Basu Medicinal plants. November 12, 2019: 333–359. Posted online Nov 12, 2019 Doi: 10.1007 / 978-3-030-31269-5_15 PMCID: PMC7120914 PubReader PDF Article – 568K Citation.
Ir para a fonte
Artigo científico
Immune System and Disorders. U.S. National Library of Medicine.
Ir para a fonte
Artigo científico
The immune system Lindsay B. Nicholson Biochem Assays. October 31, 2016; 60 (3): 275-301. Published online October 26, 2016. doi: 10.1042 / EBC20160017 PMCID: PMC5091071 PubReader PDF Article – 1.5M Citation.
Ir para a fonte
Artigo científico
Qiu F, Liang C-L, Liu H, Zeng Y-Q, Hou S, Huang S, et al. Impacts of cigarette smoking on immune responsiveness: Up and down or upside down? Oncotarget [Internet]. 2017 Jan 3 [ 2020 Mar 23];8(1):268–84.
Ir para a fonte
Artigo científico
Variation of the human immune system Petter Brodin, Mark M. Davis Nat Rev Immunol. Author’s manuscript; Available at PMC 2017 Feb 27. Published in final edited form as: Nat Rev Immunol. 2017 Jan; 17 (1): 21-29. Published online December 5, 2016 doi: 10.1038 / nri.2016.125 PMCID: PMC5328245 PubReader PDF Article – 1.0M Citation.
Ir para a fonte
Artigo científico
Barr T, Helms C, Grant K, Messaoudi I. Opposing effects of alcohol on the immune system. Prog Neuro-Psychopharmacology Biol Psychiatry [Internet]. 2016 Feb 4 [ 2020 Mar 23];65:242–51.
Ir para a fonte
Estudo
Psychological stress and the human immune system: a meta-analytic study of 30 years of research Suzanne C. Segerstromy Gregory E. Miller. doi: 10.1037 / 0033-2909.130.4.601.
Ir para a fonte
Artigo científico
Effects of stress on the immune system Author Links Open Overlay Panel David N Khansari 1 Anthony J Murgo 2 Robert E Faith 3 https://doi.org/10.1016/0167-5699(90)90069-L Disponible online
Ir para a fonte
Artigo científico
Calder PC. Feeding the immune system. Proc Nutr Soc [Internet]. 2013 Aug 21 [ 2020 Mar 23];72(3):299–309.
Ir para a fonte
Artigo científico
Maggini S, Wintergerst ES, Beveridge S, Hornig DH. Selected vitamins and trace elements support immune function by strengthening epithelial barriers and cellular and humoral immune responses. In: British Journal of Nutrition [Internet]. 2007 [ 2020 Mar 16]. p. S29-35. Disponible online
Ir para a fonte
Guia clínico
Guía básica para sistema inmune. FUNDACIÓN DE ENFERMERÍA DE CANTABRIA. ISBN: 978-84-09-20262-1. 1ª Edición Abril 2020. Disponible online
Ir para a fonte
Site oficial
Vitamin E. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
Ir para a fonte
Site oficial
Iron. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
Ir para a fonte
Site oficial
Vitamin C. National Institutes of Health (NIH). Disponible online
Ir para a fonte
Recomendações OMS
Organización Mundial de la Salud OMS | Recomendaciones mundiales sobre la actividad física para la salud. WHO [Internet]. 2013, Disponible online
Ir para a fonte
Artigo científico
Liposomes for Enhanced Bioavailability of Water-Insoluble Drugs: In Vivo Evidence and Recent Approaches. Mi-Kyung Lee. Pharmaceutics. 2020 Mar; 12(3): 264. Published online 2020 Mar 13. doi: 10.3390/pharmaceutics12030264 PMCID: PMC7151102 ArticlePubReaderPDF–2.9MCitation. Disponible online
Ir para a fonte
Artigo científico
Liposomal-encapsulated Ascorbic Acid: Influence on Vitamin C Bioavailability and Capacity to Protect Against Ischemia–Reperfusion Injury. Janelle L. Davis, Hunter L. Paris, Joseph W. Beals, Scott E. Binns, Gregory R. Giordano, Rebecca L. Scalzo, Melani M. Schweder, Emek Blair and Christopher Bell. Journal ListNutr Metab Insightsv.9; 2016PMC4915787. Disponible online
Ir para a fonte
Artigo científico
Therapeutic and Medicinal Uses of Terpenes Destinney Cox-Georgian, Niveditha Ramadoss, Chathu Dona, Chhandak Basu Medicinal Plants. 2019 Nov 12 : 333–359. Published online 2019 Nov 12. doi: 10.1007/978-3-030-31269-5_15 PMCID: PMC7120914 ArticlePubReaderPDF–568KCitation. Disponible online
Ir para a fonte